domingo, 4 de janeiro de 2009

Reveillon 2008/2009

Anna, a trabalhadora
A Anna saiu do PUR, logo após a festa de natal deles. Nao estava mais suportando a perseguiçao da "big boss". Logo antes do natal surgiu um trabalho temporario de 10 dias ganhando 50% mais e resolveu jogar tudo no ventilador e ver o q o destino guardaria para ela no inicio de janeiro. Ou seja, largou o emprego, descansou uns dias e partiu p/ o trabalho temporario (thanks aos nossos vizinhos Alexandre e Letícia ;) em Charlesvoix.... mais especificamente no Fairmont Le Manoir Richelieu em La Malbaie, um pouco mais a nordeste da cidade de Charlesvoix, 80km antes de Tadussac. Mais uma vez foi parar num hotel 5 estrelas, porem agora do mesmo grupo do Chateau Frontenac. Arrumou uma mochilona, catou o bichinho de pelucia, um gameboy emprestado e o travesseiro.... e pegou carona... comigo, claro! La fui eu leva-la a uns 150km daqui a nordeste, logo depois do almoço de natal. Ela ficaria no alojamento destinado a funcionarios temporarios, logo ao lado do predio principal do hotel.
Ela ficou lá de 25 ao dia 2 de janeiro, trabalhando bastante... e eu na cidade de Quebec mesmo, no conforto de nosso lar.

O intruso
Como esse foi nosso primeiro reveillon em nossa nova terra, eu acharia muito chato passa-lo longe um do outro. Assim, independente se conseguiria ou nao um lugar por la, parti em direcao a La Malbaie p/ passar o ano novo juntos. Ela trabalharia no dia primeiro, mas daria p/ curtir um pouco a virada. Levei um vinho e a presenteei com minha presença. "Que presentao"!...rs
No chalé, exclusivamente p/ utilizacao de funcionarios temporarios, haviam umas 15 pessoas, entre cozinheiros, garçons, musicos e camareiras. Eu, o intruso, conheci todos, e fui ficando... A Anna perguntou aos mais amigos se teria problema de eu dormir por la NAQUELA noite. Como na noite anterior uma intrusa tb havia dormido por la e ninguem chiou - mesmo ela sendo uma chata, nao houve resistencia de passar nosso primeiro reveillon juntos..."lá-lá". Como o quarto da Anna era duplo (duas camas) peguei uma cama e...hahahha... fiquei! A estadia 0800 da noite de 31 a 1 estava garantida.

Festa de reveillon
Reveillon com gente desconhecida nao é a mesma coisa q amigos de verdade. P/ a Anna ainda pode ter sido mais divertido pois estava com o pessoal q a dias faziam guerra d`água com ela, trabalhavam com ela, e faziam bagunça juntos. Para mim foi tranquilo... nada de excepcional.
Perguntei p/ uma amiga como eles costumavam passar os reveillons q nao estivessem trabalhando e ela respondeu: "em bares... na casa de amigos... na casa da familia...."
- Ou seja, em qq lugar bem aquecido???
- Exatamente. Afinal, fazer o q no frio???
Exatamente. Nós, brasileiros, acostumados com queima de fogos, shows na praia, azaraçao nas praças e bebedeira nas ruas nao precisamos nos preocupar com o vento de 15km/h que pode dobrar a senção térmica de -15C p/ uns -25C... -35C...rs. Ouvi falar q na cidade de Quebec juntou 25 mil pessoas p/ a queima de fogos, mas ninguem conseguiu ficar mais q 1 hora. Todos os brasileiros q conhecemos nao duraram mais q meia hora, e o caso mais rapido q ouvi foi de 5 minutos antes q abandonassem a ideia de ver a queima ali pela regiao do Chateau Frontenac.
Estavamos portanto bem quentinhos e cheio de gente na casa. Foi alegre a comemoracao e logo voltamos ao bate papo animado. Como todos tinham de trabalhar no dia seguinte, poucas horas depois fomos dormir.

Vida de clandestino
Algumas pessoas sabiam q eu dormiria por lá, mas outras nao. E como eu nao sabia quem poderia sujar a barra da Anna, fiquei apreensivo de sair do quarto. Fiquei quietinho esperando o movimento do dia seguinte na casa cessar e eu poder sair de fininho. Mas q nada... Passou 11:30hs... 12:30hs.... 14:30hs...e nada! Sempre havia barulho de gente p/ la e para cá! Eu ja havia devorado o pao de alho com queijo q eu havia trazido e queria dar uma volta na regiao. Me estressei e sai p/ a vida! Q se dane, pensei... Se perguntarem sei la... falo qq coisa.
Sai sem problemas e fui passear com o mapa de umas trilhas q a Anna havia deixado comigo. Nao precisava de mais nada!

Caminhos, gelo, neve, frio e muito vento: um dia perfeito!
Foram poucas horas de trilha a -20C e muito vento, isso apenas devido a noite cair cedo... pois o frio nao era problema, só um desafio divertido de se vencer. Mas o q encontrei naquele resto de tarde foi o suficiente para me animar a sair mais cedo no dia seguinte p/ conhecer melhor as caminhadas q a area do hotel oferece. Sim!!!! Nao passei só uma noite... tomei gosto pela coisa e fiquei ate o dia 2!!!HAHAHAHAHHAH Dia 2 era o ultimo dia de trabalho dela e pq nao tentar ficar mais uma noite e economizar 300km em 24hs.











O segundo dia de caminhadas foi melhor, temperaturas de -13C e pouco ou quase nenhum vento.
Eu tinha em mente ir até um mirante q eu havia visto numa foto do mapa q ficou comigo e que no dia anterior eu havia avistado de outra trilha q peguei. Tentei achar o caminho, mas nao acertei de primeira pois a neve apagou os caminhos menos utilizados e acabei sempre seguindo os caminhos mais civilizados, com neve ate no maximo a canela por poucas vezes.


















O frio e a eletricidade

O frio começou a pregar peça comigo. A camera fotográfica começou a descarregar com velocidade recorde. Ao chegar no topo de um morro a camera descarregou por completo e tive de voltar p/ carrega-la novamente, e aproveitar p/ almoçar.
Maquina carregada, descobri q a causa da carga baixa recorde era nada mais q o frio cortando a carga da bateria. Por isso, passei a andar com a camera dentro de meu casaco depois disso.
Outra coisa q notei foi o LCD do celular. A imagem de fundo dele tem muitas partes brancas, e essas no frio começam a ficar amareladas. O preto fica acinzentado... e ao voltar a temperatura "de gente" todas as cores se normalizam.

O desafio
Chegou o momento da verdade, eu iria chegar no topo daquele mirante! Na volta de uma das trilhas da parte da manha descobri a bifurcaçao q provavelmente me levaria ao mirante, uma trilha q ninguem passava a algumas semanas, sem contar q o mato ja estava tomando conta dela por inteira, e a neve...hahahha... a neve estava alta! Era missao para alguem bem alimentado de um belo Subway de 12 polegadas.
Barriga cheia, calça de neve posta, botas bem amarradas e camera aquecida.... era a hora de partir.
Nunca pastei tanto para avançar tao poucos metros. Ultrapassar um tronco de arvore caido chegava a ser uma tarefa de engenharia transpo-lo. Ou vai por cima... ou vai por baixo! Mas p/ ir por cima vc atola sua perna ate a altura da bacia, e se for por baixo tem de cavar...com as maos! Me aproveitei do meu ultimo suspiro de elasticidade do meu corpo e fui por cima! O menor de meus males ja era coisa do passado. Aquela neve q parecia areia movediça insistia em devorar minha perna inteira!!!! O que fazer p/ avançar mais rapido? Simples, distribuir o peso de meu corpo... engatinhando!!!!...rs La vai um velhinho de 37 anos engatinhar na neve. Tb nao era moleza nao, pois a neve era fofa demais, e tinha de fazer um esforço bom tb. Revezava entao oras indo de pé... oras engatinhando. Parava, respirava... e voltava... de pé...engatinhando. Foi assim por talvez uns 40m, mas demorou. Quando passei dessa fase cheguei num paredao de neve onde a trilha simplesmente ficou na imaginacao, e fui seguindo sempre em frente, sem a mesma dificuldade, mas sempre lentamente. Só havia um obstaculo que me separava de meu objetivo, um matagal seco. Mas nao era apenas um matagal pelado qq, era um matagal numa area bem inclinada, numa regiao remota e sem uma alma viva por perto. Era tudo q eu precisava! Pé esquerdo na arvore, me estico e seguro na arvore seguinte. Cada tronco fino virou um degrau nesse resto de caminho. Cair nao era tanto problema, desde q eu nao me quebrasse nada, pois se isso acontecesse eu estaria fú de voltar pelo mesmo caminho... e ainda por cima avariado. Mas foi facil. Cheguei no tal mirante. Claro q o mais gostoso sao os desafios de fazer a uma trilha sozinho em condicoes totalmente novas para vc. Mas foi uma ótima diversao chegar ali. Voltar...hahahah.... eu notei q havia um campo de golfe logo acima de um morro a poucos metros dali, e nao tive duvidas.... Desci rolando a pista de golfe....rs. Ja estava tarde e o sol ja havia ido embora. Era hora de eu tomar juizo e deixar p/ continuar a brincadeira de explorador em outra oportunidade ;)











Nada como entrar o ano fazendo coisas erradas!!!...rs

9 comentários:

Giselle & Rogério disse...

Q aventura, heim!!! rs rs rs
Um abraço, pro casal!
Por Gi.

Ricardo disse...

Você é o cara !

Da próxima vez, leva um GPS, pode ser útil ! Risos !

Abraço e Feliz 2009 para vocês !

Aline disse...

Primo me divirto muito lendo seu blog, principalmente com suas peripercias, quase como as de um adolescente.
Voce deveria transformar este material todo em um livro, tenho certeza que faria sucesso.
bjus da terra da chuva BRAZIL rs
Aline

Anne, Samir e Gabriel disse...

Que aventura, hein..? rsrsr Ainda bem que ng te descobriu por lá... =]~ Aaah.. As fotos estão massa!

Beijos..

Anne

Arroz - Luiz Fabiano disse...

Guerreiro! Por aí não tinha urso?
Estive na sua terra na virada e realmente depois dos fogos, foi uma debandada geral, a minha máquina congelou, saímos correndo (ou seria escorregando) de lá!!!
Que 2009 seja um ano de muitas aventuras, na neve ou no sol!!! E Deus os abenções ricamente!
Um abraço!
Fabiano

LiliX disse...

hahahahhaha! meu! vc eh loco! rs
eu jamais me embrenharia num mato com esse tanto de neve! vi muito filme de sessão da tarde pra me arriscar assim....rs
Que bom q a Ana arrumou um trampo! tomara q em 2009 ela arrume varios...e melhores!
Meu processo federal foi aberto entao em breve estarei numa fria tmb!
Bom ano e muitas realizações pra vcs!
:)

Anônimo disse...

Agora gostei...um post com mais loucura...massa as fotos e que "bocada" vc se meteu...acho que vc estava atrás de um chapeuxinho vermelho ou de um lobo mau...hehehe. Que vizual fantastico...o hotel é estrategico..agora achei o negocio meio sinistro...sem sinal de vida...mas ta valendo...parabens pelo post...estamos chegando...abraço. Bruno e Ana Flavia

Anônimo disse...

Luis, muito divertida sua postagem comme d'habitude:) A Ana e realmente muito batalhadora, encarar trabalho a kms de distancia de casa, do Natal ao Ano Novo, sem a certeza de ter vc perto? Pense numa menina corajosa arretada!
Abracos e Bonne Chance a vous!
Nana

Letícia, Alexandre, Marina e Luna disse...

Que aventura!Adorei as fotos e o texto, muiiito bom mesmo, é saborosa a maneira bem humorada e rica em detalhes da sua narrativa... abraço da visinha do 8.Rs!

Ps. Enfim postei alguma coisa no nosso blog, passa lá depois.