quinta-feira, 24 de maio de 2007

A vida em João Pessoa

PQ João Pessoa ?

Sou carioca, cresci em Campinas, morei em São Paulo, e só entao depois de mais de vinte anos voltei para minha terra natal. Cresci como estranho na terra dos outros, e quando voltei para onde nasci, me chamavam de estrangeiro. Resumindo, ninguem me quer !!!...rs
Com a Anna é a mesma história. Nasceu em Recife, morou em Salvador, João Pessoa, Brasília, São Paulo, Rio (ja casada comigo), e topou sair do perigo de lá e vir para João Pessoa, em busca de um período de tranquilidade antes de irmos embora para o Canadá.
Vim para cá a passeio em dez/2006. Gostei do que vi, vi o potencial de negocios, mas tb notei a dificuldade pelo ponto de vista de emprego. Mesmo assim resolvi passar o resto de nossa estadia no BR por aqui, entao de volta ao RJ organizei a mudança e em fev/2007 nos mudamos. Pelas minhas contas, aplicando o FGTS em fundos de ações, com a renda daria para pagar as contas do mes tranquilamente.
O primeiro mes foi a lua de mel com a vida nova. Alugamos um apartamente de temporada de frente para o mar, no final do bairro Bessa, compramos bicicletas para ter um meio de locomoçao q nao gastasse dinheiro, ja que minha ex-empregadora não fazia questao de me pagar o q devia. Logo que chegamos a Anna conseguiu um emprego de vendedora numa ótica. Naquele mês fiquei passeando 32km por dia de bike por toda a orla, indo a praia e até iniciamos um empreendimento na praia, alugando um trampolim aquatico p/ crianças. Rendeu um dinheirinho, mas era final de temporada, então não levamos muito a frente.
Ao final do primeiro mês de festa e muita agua de côco, chegou a noticia da entrevista de imigraçao para o final do mes de abril. Coincidiu com a época em que estavamos de mudança para o apartamento novo, tb no Bessa. Portanto, apartamento novo, vida nova. A festa acabou e começamos a nos dedicar 110% para a entrevista.
As aulas de fancês para nos prepararmos p/ o dia D eram com um professor francês da aliança francesa, chamado Jean. As aulas com ele eram muito cansativas, pois tinhamos de sair do Bessa, e pegar 2 ônibus até chegar onde ele morava, proximo a universidade federal, embaixo do calor infernal daqui não era fácil não.
Mais próximo da entrevista abandonei as aulas, e deixei a Anna usar todo o nosso tempo de aulas exclusivamente para ela, assim poderiamos nos preparar melhor , ela com o frances e eu com tudo que eu teria de falar e explicar. Foram dois meses muito cansativos.
Agora de volta da viagem da entrevista, ainda não sei o que será.

O custo de vida aqui é realmente mais baixo. Um apartamento como o que moro, a 900m da praia, 3 quartos, uma sala muito boa com 2 ambientes, 2 banheiros fora a suite, custa 220 reais! Mais 230 de condominio, pronto... 550 no total! Os serviços dessa região são deploraveis. Ainda falta muito para se equivalerem ao que nós do sudeste estamos acostumados. As frutos nos supermercados, verduras, transporte público, atendimento em bares, restaurantes... tudo é um lixo. Mas a única coisa q nao podemos falar mal daqui é a simpatia do povo. Simpaticos demais, uma verdadeira cidade do interior, localizada no litoral, com título de capital :)

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá. Moro em SP e estou de mudança para o nordeste, em dúvida entre Maceió ou Joào pessoa. Já morei em Natal também...
Conheço Maceio como turista mas gostaria de mais opiniões d ealguém que de fato morou. Como é emprego por lá? E quanto em média vocês gastavam/mês?
Você ainda tem o contato deste apto onde morou? Fiquei muito interessada.
Obrigada,
Keity

Luiz e Anna disse...

Ola Keity,

Vivemos sem emprego la por um ano. Emprego é quase inexistente. A cidade é boa para quem vai com um, pq procurar la é FURADA. Isso eu digo p/ qq parte do nordeste. Tentem ir ja com um emprego de preferencia.
Se trabalharem por conta-propria terao melhores oportunidades, mas como sabem o inicio sempre é mais dificil.
Nao temos mais o contato, infelizmente.

Se quiserem conversar melhor escrevam direto p/ mim: skol71@gmail.com

Abs e boa sorte