domingo, 28 de junho de 2009

Nossa fase mais dificil no Quebec

Esse ano de 2009 foi planejado por nos como o ano da estabilizacao, mas até agora so foi de desinstabilidade total! Se achavamos q 2008 foi um tanto quanto insólito, nem imaginavamos como seria esse.

Viramos o ano e logo nos vimos os dois sem emprego, durante o inverno. Enviavamos curriculuns p/ as vagas mais safadas e nem tinhamos resposta. Decidi-me voltar para a informatica, e duas semanas depois eu ja estava trabalhando...de graça...mas ja estava garantidno um dia no futuro receber um salario melhorzinho. A Anna ficou num horti-fruti da vida (Le Jardin Mobile) ganhando um salario minimo, o qual foi muito importante naquela época.
O meu estagio de graça passou a ser pago semanas depois, e comecei a contribuir em casa tb. Era o inicio da estabilidade ??? Imaginavamos q sim... masssssss..... a Anna teve sua segunda crise de labirintite, mais forte q a do ano passado. Resultado: duas semanas de molho em casa. Aqui, se vc nao tem um determinado numero de horas no emprego vc nao tem direito a receber nem parte de seu salario quando esta de cama. A Anna ficou esse tempo todo em casa, enjoada, sem poder fazer nehuma estripulia. Quando voltou a trabalhar, claro... ja haviam arrumado alguem para fazer o horario q ela fazia. Restou a ela trabalhar nos horarios vagos, uma vez por semana. Sua renda caiu para uns 65 dolares por semana! Teria sido melhor se a demitissem e ela ganharia o salario desemprego, mas nao... ficaram com ela. Pior para nós, q a situacao daqui de casa ficou preta.
As semanas foram passando, eu com meu estagio q nao sabia se renovariam e se tornaria em emprego de verdade, e ela lá... uma vez por semana fazendo salada no horti-fruti.

A fase mais dificil aqui
Meu estagio era de 3 meses, e a ideia era de ao termina-lo, meu empregador se utilizaria do programa PRIIME para me contratar. Mas diversas variaveis entravam no jogo para nao deixar nada 100% certo. Eu tinha de passar ao menos na primeira prova de certificaçao do curso q fiz em Montreal semanas atras, tinha de mostrar que as coisas estavam voltando a minha cabeça, o frances melhorando, etc... Ou seja, tinha de me aplicar. Fui fazendo meu possivel, ganhando meus $10/h.

Nao adiantava mostrar graficos, planilhas ou seja o q fosse a Anna, ela nao queria sair do Le Jardin Mobile ($9/h), e nossa situacao nao melhorava. Se ao menos trabalhasse 5 dias na semana nao teria problema, mas nao... quando muito ela trabalhava 2 vezes na semana.

Meu estagio estava no final e as coisas foram se acertando, com as nuvens negras carregadas começando a desaparecer no horizonte. Minha contratacao estava tomando forma, mas o rombo na conta tb. As previsoes eram pessimas, mas nao havia o q fazer, tinhamos de ir levando.
Entrei em contato com o Centre Local de Emploi de Sainte-Foy (CLE) um mes antes do final de meu estagio, como havia sido instruido pelo SOIIT, organismo de ajuda ao imigrante responsavel pelo salario do meu estagio, solicitando meu auxilio PRIIME. Ai começou minha ultima novela com o CLE. Sempre q preciso do auxilo do Emploi Quebec venho aqui no blog e descasco eles... mas vamos la com a minha ultima com essa turma.
Primeiro... fui solicitar um rendez-vous com uma agente de emprego. Ao fazer isso descubro q meu dossier havia sido perdido. Primeira bola fora deles... Ok, preenche a maldita ficha de novo e espero dias para entrarem em contato comigo. Na semana seguinte a agente me liga e faz um rendez-vous ali mesmo, pelo telefone. Alguns dias depois, na mesma semana ela me liga novamente e fala q sou mais q admissivel ao programa PRIIME, que meu CV cae como uma luva na empresa, e q eu nem necessitaria da carta PRIIME para entrar no programa. Foi uma massagem para meu ego... se inflou... começou a subir...subir... Perguntei a ela o q eu precisaria fazer dali para frente, e ela falou, falou... se decidindo na hora nas respostas, e no final so disse que eu nao precisarai fazer mais nada, que outro agente entraria em contato com o empregador para os tramites legais com a empresa. Fiquei despreocupado. Era terminar o estagio e começar imediatamente o emprego.
Massssssssssssss...... como era de se esperar, nao foi bem isso q aconteceu. A agente q falou comigo nao repassou ainformacao corretametne a outra q deveria entrar em contato com a empresa, e meu caso ficou estacionado, esperando uma aprovacao q a agente anterior ja havia dado. Segunda bola fora... mais um cartao vermelho para eles!! Dois dias antes do final de meu estagio a segunda agente entra em contato com a empresa q trabalho e mostra q a falta de comunicao interna criou um problemaço para mim. Meu emprego nao poderia começar ate q a bagunça que eles fizeram com meu caso fosse arrumada. Isso atrasaria em 2 semanas meu inicio oficial na empresa. Mas como aqui recebemos de 2 em 2 semanas, isso significava q teria de espera 4 semanas para receber meu primeiro salario. Ou seja, 1 mes sem renda! Sem renda pois os 65 dolares por semana da Anna nao faziam nem cocegas na conta, e as contas forazes estao famintas... e em 4 semanas elas nao seriam piedosas com ninguem aqui.

Sem duvida alguma, essa foi a fase onde meu estresse chegou a um ponto critico. Tendo de estudar para minha certificacao, com a morte de nossa conta-corrente anunciada... com data e hora marcada.

Acho q depois dessa situacao a Anna enfim se convenceu q nao estavamos bem, e ela resolveu largar a ideia de frescura com trabalho e resolveu ajudar em casa.

Ceu abrindo novamente?
Semana passada ela enviou uma dezena de CVs p/ vagas do www.emploiquebec.net, e como nos velhos tempos recebeu varias telefonemas... alguns no mesmo dia, outras no dia seguinte.
Acabou q de ela esta saidno de um emprego, ou seria melhor dizer 1/5 de emprego, passara a ter 2! Ela esta dizendo q vai encarar dois empregos ao mesmo tempo por alguns meses pelo menos, tudo em nome da estabilidade de casa... e do consumismo tb... óbvio!...rs
Um dos empregos sera trabalhar numa residencia de idosos, fazendo uma desenfecçao de corrimaos, maçanetas...uma limpeza muito leve. E ainda por 50..eu disse cinqueeeenta centavos pagos a cada duas semanas (!!!!absuuuurdo de caro...rs) ela podera utilizar uma sala de ginastica para ficar em forma. Saindo de lá ela vai ter uma hora de descanço e entra no outro emprego, uma padaria e patisserie industrial que fornece o croissant para o CostCo. Nada mal, levando em consideraçao q funcionarios podem comprar mais em conta e que achamos o croissant de supermercado mais gostoso d cidade :D Nossos estomagos agradecem todo esforço...heheh.

A vida no exterior pode parecer legal, mas assim como em qq canto do mundo existem altos e baixos. Se nao nos esforçamos nao avançamos. Acredito q com esse esforço tardio dela as coisas se acertarao aqui. Mesmo se ela ficar so com um emprego ja estara de bom tamanho... mas se fosse escolher algum dos empregos, meu estomago insistiria q ela ficasse com o da padaria... hohohohohooh....rs

16 comentários:

Marcos, Simone, Lucca e Julie disse...

Luiz, Anna,

Ler seus relatos é bastante importante para nós que ainda estamos em Pindorama... Querendo ou não, nos trazem um choque de realidade semm igual...

Torcemos, sim, para que tudo se resolva de maneira rápida. Sabemos que a crise tem ainda algumas dores de cabeça a dar a todos, mas fica o exemplo de seus esforços.

Abraços,

Marcos, Simone, Lucca e Julie

Ricardo disse...

Oi Luiz, vida de imigrante casado é literalmente em equipe. Principalmente no início, sem a experiência Canadense e em fase de adptação, é importante que um garanta o outro.
Muito bom post para entender esta dinâmica que as vezes parece óbvia, mas na realidade não é.

Sucesso a vocês, estamos na torcida !

Ricardo e Caia

Lucas disse...

Luiz,

Esperemo que tudo melhore aí pra vcs. Acompanho o blog há bastante tempo e sei da luta de vcs pra chegarem até aí. :-)

Força!!! :-) E consiga uns descontos no croissants pros amigos tb... rsrsrsrs

Um grande abraço,

Lucas Sanromã www.projetocanada.wordpress.com

Anônimo disse...

WOW! Sinistro, hein???? Mas as coisas parecem estar se acertando e estamos aqui torcendo por voces!
PS: Manda um croissant ai pq aqui os paes sao bem ruinzinhos...
Bjs,
Sara
snvasconcelos@yahoo.com.br

Alice, Paulo e Lucas disse...

Pois é meu amigo, quem pensa que vida de imigrante é fácil tá aí a prova!!!
Mas a escolha foi feita e temos que enfrentar os problemas de frente...Boa iniciativa da Anna em voltar a traz e correr em busca de novos empregos. E tem que dar tempo ao tempo, afinal de contas é um recomeço para todos que emigram, e como todo recomeço tem que ser do zero!!!
Parabéns pela determinação.

Diogo e Simone disse...

Quanto ao post, que só agora li, coisa boa... engorda a conta, engorda com o croissant, mas ela tem direito a sala de ginástica, vc continua na natação... é a qualidade de vida chegando...
Boa sorte pra vcs.
abraço
db

Anônimo disse...

Luiz y anna,

admiro mucho su tenacidad pero creo que esta en el momento de considerar un giro de timon, venirse hacia Montreal y salir de la Ville de Quebec en donde se sabe que todo es mas dificil.
No se cual es la profesion de ustedes pero yo en su lugar entraria inmediatamente a un prestamo y beca con el objetivo de tener una formacion de aqui mientras perfecciono el idioma.
Espero no importunar, pero no me agrada lo que les esta pasando

Andrea disse...

Ola Luiz,
Espero que as coisas melhorem aih pra vcs.Entendo perfeitamente as suas palavras pois estou passando uma situacao qse semelhante a sua, com excecao de que eu consegui o Seguro desemprego e o valor eh bem razoavel, nao dah pra reclamar.
Tenha fe que tudo vai dar certo pra vcs.Temos que continuar seguindo em frente, mesmo com todas as adversidades.
Um abraco,
Andrea*

Manuel M. Henrique Filho disse...

Grande Luiz, seus posts são sempre fantasticos, e parabenizo vc por mostrar como se come os talos da Rosa Também.
Realidade é o que interessa pra gente.
Um abração e continue assim.

Fernanda disse...

Que bom que a situação já está melhorando para vcs! Também fico feliz da Ana ter conseguido dois empregos. Gosto muito de ler seus posts, eles são muito realistas e ajudam a nós (que ainda não chegamos aí) a vermos a realidade do início da vida do imigrante.

Abraços
Fernanda

Giselle e Rogério disse...

Pois é... a vida não segue em linhas retas, nem no Brasil, nem no Canadá e nem em qq lugar.rs rs rs. Bonne chance!
Bjs!
Gi

* Serena * disse...

~Eita, que turbulência! Mas é assim mesmo, é preiso enfrentar a chuva pra encontrar o aro-íris. BOnne chance, mon ami!

Bjus!

LiliX disse...

Olha amigo.....depois de tanta cacetada na cabeça....eu soh posso te falar uma coisa....VC VAI SER RICO BAGARAI!!!!
Sò pode!! rs..
Agora falando sèrio...toda essa tempestade vai te levar pruma estabilidade muito grande vc vai ver...num è papo de new-hippie-peseudo-descolado nao...
Pensa bem...Vc chegou aì no Canada sem querer nem ouvir falar de trabalho duro(jà bastava o do Brasil q nunca nos levou a nada)e ainda por cima puto com a sua profissao e hj em dia vc jà se entendeu com essa questao de trabalhar...jà colocou os pingos nos "is"...e atè fez as pazes (ou pelo menos parece que caminha pra isso) com a sua profissao! Olha o tanto q vc jà progrediu! Por isso eu digo, colega...GUENTA AS PONTAS! sò mais um pouquinho que tudo vai se acertar!
:)

Wellington disse...

e ae meu amigo como vão as coisas?
melhores?
abraço!

Bea disse...

Concordo com o que a Fernanda falou, seus posts são muito realistas e precisamos ter os pés no chão!!!

Espero que as coisas melhorem rápido pra vcs.

Abraços,

Bia.

P disse...

só fui conhecer agora essa história. que barra vocês aguentaram! mas que bom que foi degrau pra subir!

parabéns pela garra e coragem!

[]s
p